Bicicleta: educ(ação), jovens, adultos e idosos. (Escola Municipal Agnelo Teles de Menezes)

Estudantes da Escola Municipal  Agnelo Teles de Menezes

A Escola Municipal Agnelo Teles de Menezes, situada no Povoado Barragem da Pedra, zona no município de Jequié, interior da Bahia, fundada em 1976, recebeu o projeto Ciclo-Olhar (na Escola), apoiado pela Lei Aldir Blanc, edital Resistência Cultural, com apoio financeiro do Governo Federal, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Prefeitura de Jequié, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

Durante duas semanas, no período noturno, os estudantes do EPJAI - (Educação de Pessoas Jovens, Adultas e Idosas), turmas do 6º, 7º, 8º, 9º ano, tiveram acesso ao conteúdo disponibilizado em www.BikeNaEscola.blogspot.com textos, vídeos e fotos produzidos pelo ciclista e documentarista Dado Galvão, idealizador do (Movimento @cicloolhar).

 
Estudantes produzem cartas que serão entregues para ciclistas de Jequié - BA 

José Francisco dos Reis, (66 anos), trabalhador rural, estudante e ciclista, destacou que utiliza uma bicicleta barra circular/forte, para percorrer pequenas distâncias e transportar ferramentas que utiliza na roça. O ciclista da melhor idade foi o escolhido pelos colegas para receber uma plaquinha, (pedalar é um direito nas ruas e estradas), do Movimento @cicloolhar.

 Dado Galvão e José Francisco dos Reis, (66 anos), trabalhador rural, estudante e ciclista

Estudantes e professores ficaram surpresos e motivados por ter contato dentro do espaço escolar com a cultura da bicicleta, que pode ser trabalhada de forma multidisciplinar.

Na segunda semana os estudantes produziram, (12/09), cartas, com o tema (escrava para um(uma) ciclista), o(a) estudante que escrever a carta mais criativa receberá do Movimento Ciclo-olhar, uma bicicleta com plaquinha refletiva do movimento, sinalizadores, capacete. Quatro escolas municipais serão contempladas com o projeto, sendo duas na zona rural e duas na zona urbana, totalizando duas bicicletas para premiação, uma para cada zona (urbana e rural), as cartas produzidas pelos estudantes serão entregues pelo Movimento Ciclo-Olhar para ciclistas de Jequié, tudo está sendo documentado para construção de um vídeo documentário.

Duas escolas já foram contempladas na zona rural, agora o projeto contemplará mais duas escolas na zona urbana.
 

 José Francisco, (66 anos), entrega sua carta, que será entregue para um ciclista de Jequié - BA

Você professor(a), estudante, ciclista, líder comunitário, influenciador(a), de qualquer parte do Brasil, poderá trabalhar o projeto na sua escola, comunidade, coletivos, associações, grupos de ciclismo, refletindo através do conteúdo disponibilizado pelo movimento, são vídeos, textos e fotos, que podem ser refletidos e comparados com a sua realidade ciclística local.


 Setembro de 2022, BikeNaEscola.blogspot.com  Movimento @Cicloolhar

Escreva para um(uma) ciclista. (Escola Municipal Professora Corina Leal)

  A bicicleta é sempre posicionada no centro da sala de aula, 
para que seja inspiração para os estudantes.

Vinte estudantes da Escola Municipal Professora Corina Leal, localizada na comunidade Fazenda Velha, rodovia Barragem de Pedras, zona rural de Jequié, cidade baiana de aproximadamente 150 mil habitantes, depois de terem contato com o conteúdo do Ciclo-Olhar (na Escola), textos, vídeos, fotos, produziram, na segunda-feira (29/08), cartas, com o tema (escrava para um/uma ciclista).

São estudantes da rede pública municipal, dos anos finais do ensino fundamental, com média de idade entre 12 a 16 anos, o conteúdo digital disponibilizado pelo Movimento Ciclo-Olhar, no endereço eletrônico (www.BikeNaEscola.blogspot.com) foi trabalhado nas aulas da professora de língua portuguesa, Nádia Adriana de Andrade, durante uma semana, incluindo um ciclo diálogo entre estudantes e o idealizador do projeto, ciclista e documentarista Dado Galvão, que afirma, “através da foto(grafia), do cinema documentário e a infinita subcultura da bicicleta é possível construir na base a ideia de um ciclismo humanizado, cidadão, que exija políticas públicas para o ciclismo e defenda a simplicidade da bicicleta”.
 
Dado Galvão registra em audiovisual produção de cartas 
 
Estudante da zona rural, Larissa Oliveira, (14 anos), desenhou uma bicicleta no envelope que abrigará sua carta, destacando no conteúdo da sua cartinha, “meu relacionamento com a bike começou na infância, eu tinha poucos amigos e me sentia sozinha, minha bike rosa virou minha melhor amiga”.

Na sala de aula, Larissa prepara carta que será entregue para um(uma) ciclista de Jequié.
 
O(a) estudante que escrever a carta mais criativa receberá do Movimento Ciclo-olhar, uma bicicleta com plaquinha refletiva do movimento, sinalizadores, capacete. Quatro escolas municipais serão contempladas com o projeto, sendo duas na zona rural e duas na zona urbana, totalizando duas bicicletas para premiação, uma para cada zona (urbana e rural), as cartas produzidas pelos estudantes serão entregues pelo Movimento Ciclo-Olhar para ciclistas de Jequié, tudo está sendo documentado para construção de um documentário. 
 
Estudantes da Escola Municipal Professora Corina Leal

Professor(a), estudante, ciclista, líder comunitário, influenciador(a), de qualquer parte do Brasil, poderá trabalhar o projeto na sua escola, comunidade, coletivos, associações, grupos de ciclismo, refletindo através do conteúdo disponibilizado pelo (Movimento @cicloolhar), são vídeos, textos e fotos, que podem ser refletidos e comparados com a sua realidade ciclística local.

Envelopes que abrigam cartas escritas pelos estudantes para ciclistas de Jequié.
 
Ciclo-Olhar (na Escola) é um projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc, edital Resistência Cultural, com apoio financeiro do Governo Federal, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Prefeitura de Jequié, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Secretaria Municipal de Educação.
 
 
Agosto de 2022.

Escola Municipal Professora Corina Leal

Estudantes e professoras da Escola Municipal Professora Corina Leal, Jequié - Bahia
 
Dia 19 de agosto, data para refletir sobre o dia nacional do(da) ciclista, que “passou a fazer parte do calendário oficial brasileiro desde 2018, após aprovação de projeto no Congresso Nacional, homenagem ao ciclista Pedro Davison que morreu em 19 de agosto de 2006, em Brasília, depois de ser atropelado por um motorista que dirigia em alta velocidade e embriagado. A proposta de criação da data também é para incentivar o respeito ao ciclista e o uso da bicicleta nos deslocamentos diários". Segundo informações do Senado Federal.

No dia nacional dedicado ao(a) ciclista, O Movimento Ciclo-Olhar, iniciou ciclo de diálogos na Escola Municipal Professora Corina Leal, localizada na comunidade Fazenda Velha, rodovia Barragem de Pedras, zona rural de Jequié, cidade baiana de aproximadamente 150 mil habitantes.

Estudantes da rede pública municipal, dos anos finais do ensino fundamental, com média de idade entre 12 a 16 anos, trabalharam durante uma semana com o conteúdo digital disponibilizado pelo Movimento Ciclo-Olhar, no endereço eletrônico www.BikeNaEscola.blogspot.com textos, vídeos e fotos, do projeto Ciclo-Olhar (na Escola), foram trabalhados nas aulas da professora de língua portuguesa, Nádia Adriana de Andrade, que leciona há oito anos na rede pública local.

Dado Galvão, documentarista e ciclista, idealizador do movimento Ciclo-Olhar, que dialogou com os estudantes, destacou, que “através da foto(grafia), do cinema documentário e a infinita subcultura da bicicleta é possível construir na base a ideia de um ciclismo humanizado, cidadão, que exija políticas públicas para o ciclismo e defenda a simplicidade da bicicleta”.
 
Dado Galvão do Movimento @cicloolhar dialoga com estudantes
 
A coordenadora pedagógica da Escolar Corina Leal, professora Sílvia Regina Pinheiro, sinalizou que "é possível trabalhar a cultura da bicicleta na escola de forma interdisciplinar”.

Depois de terem acesso ao conteúdo do Ciclo-Olhar (na Escola), os estudantes irão produzir, na sexta (26/08), cartas, com o tema (escrava para um(uma) ciclista), o(a) estudante que escrever a carta mais criativa receberá do Movimento Ciclo-olhar, uma bicicleta com plaquinha refletiva do movimento, sinalizadores, capacete. Quatro escolas municipais serão contempladas com o projeto, sendo duas na zona rural e duas na zona urbana, totalizando duas bicicletas para premiação, uma para cada zona (urbana e rural), as cartas produzidas pelos estudantes serão entregues pelo Movimento Ciclo-Olhar para ciclistas de Jequié, tudo está sendo documentado para construção de um vídeo documentário.

Você professor(a), estudante, ciclista, líder comunitário, influenciador(a), de qualquer parte do Brasil, poderá trabalhar o projeto na sua escola, comunidade, coletivos, associações, grupos de ciclismo, refletindo através do conteúdo disponibilizado pelo movimento, são vídeos, textos e fotos, que podem ser refletidos e comparados com a sua realidade ciclística local.
 
A estudante e ciclista Maria Eduarda, 14 anos de idade, foi escolhida pelos(as) colegas para ganhar 
uma plaquinha refletiva, Pedalar é um Direito Humano, do Movimento @cicloolhar  
 
Ciclo-Olhar (na Escola) é um projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc, edital Resistência Cultural, com apoio financeiro do Governo Federal, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Prefeitura de Jequié, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.
 
agosto de 2022

Professores(as), visitantes...

Ciclo-Olhar na Escola é a versão digital do projeto Ciclo-Olhar: fotografia, cinema documentário e a Subcultura da Bicicleta, idealizado pelo documentarista e ciclista Dado Galvão, aprovado em dezembro de 2019, (Lei Aldir Blanc, edital Resistência Cultural), para execução presencial em quatro escolas da rede municipal de Jequié – Bahia, sendo duas escolas na zona urbana e duas escolas na zona rural. Devido aos efeitos provocados pela pandemia, ainda não é possível aplicar o projeto no formato presencial.

O blog Ciclo-Olhar na Escola disponibiliza conteúdo audiovisual, texto e fotos do Movimento @cicloolhar, possibilitando que os/as professores(as), visitantes acessem o conteúdo e trabalhem em sala de aula e extraclasse. A versão digital do projeto permite um alcance maior, que vai além das quatro escolas, como descrito anteriormente, a depender dos esforços da gestão pública municipal, podendo atingir toda rede escolar pública de responsabilidade do município.

Trilha de trabalho sugerida...

Professores(as), visitantes, o tempo de execução será articulado entre secretarias de educação e cultura local e o Movimento @cicloolhar.  Utilizando o verbo pedalar, propomos uma trilha de trabalho, ordem sugerida.

Pedalada 1: Vídeos: reflexões no formato audiovisual documentário.

Pedalada 2: Textos: reflexões do Movimento @cicloolhar

Pedalada 3: Fotos: 65 fotografias do acervo Movimento @cicloolhar

Pedalada 4: Presença de um/uma cicloativista do Movimento @cicloolhar para dialogar com professores(as) e estudantes na escola, pré-construção da redação.

Pedalada 5: Construção de uma redação/carta, escreva para um/uma ciclista da sua cidade.

Pedalada 6: Escolha de duas* redações/cartas mais criativas, uma da zona urbana, uma da zona rural.

Pedalada 7: Entrega aos ciclistas locais das redações/cartas, que foram confeccionadas pelos estudantes, ação que será realizada pelo Movimento @cicloolhar .

Pedalada 8: Premiação, uma bicicleta e um capacete, (totalizando duas bicicletas e dois capacetes), para o/a estudante autor(a) da redação/carta mais criativa. Uma bicicleta e um capacete para zona urbana e uma bicicleta e um capacete para zona rural.  A premiação é de responsabilidade do Movimento @cicloolhar

Possíveis dúvidas, sugestões e criticas, escrevam para: dadogalvao@gmail.com Facebook: Ciclo-Olhar, Instagram: @cicloolhar

Conteúdo audiovisual.


RODAS DA LIBERDADE
 
 
 
 
CICLISTAS NA CIDADE DE PLACAS DE PAPELÃO
 

 
JEQUIÉ: CICLISTAS INVISÍVEIS
 

 
JEQUIÉ: NO RÁDIO, CAMPANHA DE DOAÇÕES DE CAPACETES, CICLISTAS DE BAIXA RENDA
 

  
REDE CANÇÃO NOVA: SOLIDARIEDADE SOBRE RODAS